Equipe em discussão

Pegando no pulo: desmascarando falácias lógicas

Compartilhe este artigo:

Argumentar de forma lógica e defender seus pontos de vista são habilidades que você precisa cultivar para crescer pessoalmente e profissionalmente.

Por outro lado, é importante ter cuidado com aquilo que você lê ou ouve. Nem sempre novas ideias ou propostas são apresentadas de maneira lógica e honesta. Fique mais equipado para questionar e desmascarar argumentos fracos que de outra forma poderiam passar como racionais e verdadeiros.

Falácia: que bicho é esse?

Uma falácia é “uma espécie de mentira, um argumento aparentemente válido, porém logicamente inconsistente ou que é falho no suporte eficaz do que se pretende provar”.

Podem ser usados inconscientemente e sem má-fé (neste caso classificados como paralogismos) ou propositalmente, com o objetivo de enganar e iludir (tornando-se sofismas).

As falácias são estudadas e listadas há pelo menos 2500 anos, desde a Grécia Antiga. Existem dezenas delas.

Conheça alguma falácias comuns

Seguem 15 das falácias mais comuns para seu conhecimento. Acrescentei um exemplo simples e um antídoto para você se defender dessas falácias. Boa leitura!

1. Falácia do Apelo à Força

Você deve respeitar as novas regras do clube. Quer ser expulso?
  • Usa ameaça com consequências desagradáveis para impor o argumento.
  • Lembre-se de que um argumento que apela à força não é racional e não tem relação com a verdade ou a falsidade da que se diz.
2. Falácia do Apelo à Misericórdia

Professor, espero que o senhor aceite o meu trabalho e dê uma ótima nota, pois passei cinco noites sem dormir e ainda por cima cuidando de minha avó, que está muito doente.
  • Apela à piedade, à misericórdia para obter aquilo que quer.
  • Lembre-se de que quem argumenta assim foge do assunto principal.
3. Falácia do Apelo ao Povo

Milhões de pessoas já reconhecem quão maravilhosas são as ideias do nosso partido. Junte-se a nós.
  • Sugere que quanto mais pessoas defendem uma ideia mais verdadeira ou correta ela é.
  • Se todos quiserem pular de um prédio alto, você também quer? O fato de a maioria acreditar em algo não torna isso verdadeiro.

4. Falácia do Apelo à Autoridade

Segundo Karl Max, “a religião é o ópio do povo.”.
  • Consiste em citar uma autoridade para sustentar uma opinião.
  • Nem sempre uma opinião é verdadeira só porque é defendida por uma autoridade.
5. Falácia do Apelo à Novidade

Conheça o novo modelo Gelema. Um carro moderno, perfeito para sua família.
  • Consiste no erro de afirmar que algo é melhor porque é mais novo.
  • Mostre que o progresso ou a inovação tecnológica não implica necessariamente que algo seja melhor.
6. Falácia do Apelo à Antiguidade

A Astrologia é uma arte divinatória praticada há milhares de anos no Oriente. É inadmissível que ainda hoje não a considerem uma ciência.
  • É o erro de afirmar que algo é bom, correto apenas porque é antigo ou tradicional.
  • Argumente que o fato de um grande número de pessoas durante muito tempo ter acreditado que algo é verdadeiro não é motivo para se continuar acreditando.
7. Falácia do Falso Dilema

Brasil: ame-o ou deixe-o.
  • Consiste em apresentar apenas duas opções, quando, na verdade, existem mais.
  • Mostre que há outras opções.
8. Falácia das Falsas Bases

Antes só do que mal acompanhado.
  • Frases e ditados são, na realidade, verdades relativas.
  • Mostre que mesmo provérbios diferentes se contradizem (“Ruim com ele, pior sem ele.” contra “Antes só do que mal acompanhado”).
9. Falácia da Generalização Não-Qualificada

O exercício é bom, portanto todos devem se exercitar.
  • É uma afirmação de caráter geral, radical e que, por isso, leva a uma conclusão falsa. Para quem sofre do coração, o exercício é ruim.
  • Mostre que há necessidade de especificar melhor o enunciado.
10. Falácia da Generalização Apressada

Todo político é corrupto.
  • Trata-se de tirar uma conclusão com base em dados ou em evidências insuficientes.
  • Argumente que não se pode usar alguns membros do grupo para julgar todo o grupo. É por isso que essa falácia está intimamente relacionada ao preconceito e piadas racistas (por exemplo judeus são avarentos, português é sem inteligência, etc).
11. Falácia do Envenenar o poço

Ele é tão sem graça quanto um sorvete de chuchu.
  • Consiste em atacar, em desmoralizar a pessoa e não seus argumentos.
  • Mostre que o caráter da pessoa não tem relação com aquilo que ela defende.
12. Falácia da Bola de Neve

Mãe, cuidado com o Joãozinho. Hoje, na escolinha, ele deu um beijo na testa de Mariazinha. Depois…. Quando crescer, vai estar agarrando todas as meninas.
  • Joga com resultados ou consequências que podem ou não ocorrer.
  • Desafie as previsões.
13. Falácia do “Depois Disso, logo por Causa Disso”

Toda vez que Roberto vai pra praia conosco, começa a chover.
  • É o erro de acreditar que em dois eventos em sequência um seja a causa do outro.
  • Mostre que correlação não é causação. Pode ter sido apenas uma coincidência.
14. Falácia da Falsa Analogia

Minhas provas devem ser com consulta. Os advogados não consultam os códigos? Os médicos não consultam as radiofrafias? Os engenheiros não consultam os projetos?
  • Consiste em comparar objetos ou situações que não são comparáveis entre si.
  • Mostre que o que vale para uma situação não vale para outra.
15. Falácia da Mudança do Ônus da Prova

Se você não acredita em Disco Voador, como pode explicar que milhares de pessoas já viram?
  • Consiste em transferir ao ouvinte a responsabilidade de provar o argumento.
  • Mostre que o ônus da prova cabe a quem faz a afirmação.

Conclusão

Para fixar o conhecimento sobre as falácias, sugiro a leitura do divertidíssimo conto “O amor é uma falácia” de Max Shulman. Desafio você a não rir! Pegue aqui.

E claro, não deixe de pesquisar mais sobre o assunto.

E aí? Este conhecimento será útil para deixar você mais protegido contra argumentos falaciosos?

FIQUE ATUALIZADO !
Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Deixe um comentário