deusas gregas (parcas) fiando o fio da vida

Os gregos conhecem o segredo para lidar com mudanças há 3000 anos

Compartilhe este artigo:

O segredo para lidar com mudanças e imprevistos já é conhecido pelos gregos há 3000 anos. Será que você sabe lidar com mudanças de vida tâo bem quanto os gregos?

Shit happens (m*rda acontece)

Semana passada, eu tive um dia “emocionante”, desses que acontecem de vez em quando. Diversos eventos e imprevistos foram se sucedendo ao longo do dia, clamando pela minha atenção e me levando para longe do que eu tinha planejado para o dia.

Já de noite, após toda a turbulência, estava batendo papo com uma funcionária da faculdade onde leciono. Ao comentar os fatos do dia, ela me deu uma pérola preciosa. “Há dias que existem para testar como está nossa paciência e nosso jogo de cintura.” Acho que eu passei no teste, com louvor. Que dia!

irmãs moiras fiando com o fio da vida

Mudança e imprevistos. Há milhares de anos, os antigos gregos já sabiam que isso é parte inseparável da vida. Três deusas da mitologia grega, as irmãs parcas, figuravam entre os deuses mais temidos pelos homens. Uma de suas funções era manusear o fio da vida, medindo, enrolando no tear e cortando os cordões que representavam a vida de cada homem vivo.

Para os gregos essas deusas eram a encarnação das forças externas que provocam mudanças em nossas vidas e sobre a qual não temos controle direto. São as forças do destino.

Situações inesperadas do dia-a-dia, surpresas agradáveis, pisadas de bola dos demais, o nascimento de uma criança ou a partida de uma pessoa querida, o novo emprego ou o que foi perdido, problemas de saúde, acidentes, uma puxada de tapete, a economia, a globalização e até novas tecnologias (quem aí ainda se lembra da máquina de escrever?)…

De uma hora para a outra podemos ser lançados em uma direção diferente de vida… Mas saiba do seguinte: isso faz parte do viver. É assim mesmo. E lidar com mudanças deve fazer parte de nossa caixa de ferramentas.

O girar da roda da vida

A roda do tear, a roda da vida.

Existe um simbolismo escondido no tear das deusas gregas. A roda do tear gira, assim como a nossa vida dá voltas. Num momento o fio está no alto da roda. No momento seguinte a roda gira e o fio vem pra parte de baixo. No próximo giro da roda, o fio subirá novamente.

O que isso quer dizer? A vida é feita de altos e baixos. Não há mal que dure para sempre e nem bem que seja eterno. O que existe é a eterna e sempre presente mudança. E com ela vêm as suas filhas, as “oportunidades”. E a roda gira. Para alguns rapidamente. Para outros, lentamente. Mas gira sempre.

Sua vida é um livro aberto

Os capítulos do livro da vida.
Apresento uma excelente analogia para ajudá-lo a refletir positivamente e lidar com mudanças da melhor maneira possível. Encare sua vida como um livro que está sendo escrito continuamente desde o seu nascimento. Ele já tem vários capítulos prontos, não é verdade?

Quando você olha para trás, o que você vê? Aposto que você consegue me dizer quais foram os capítulos mais emocionantes, quais não foram, quais são os seus preferidos e também quais não são.

Olhe atentamente e repare nos pontos onde começam e terminam os capítulos da sua história de vida. Para um capítulo acabar e um novo começar algo tem que acontecer. Você notou que cada fim de capítulo é marcado por uma mudança qualquer na sua vida? Bingo!

Lembre-se disso: você sempre está vivendo em um de dois momentos possíveis de vida. Ou você estará vivendo um capítulo da sua história pessoal ou você estará passando por uma mudança de capítulo, rumo a um nova fase ou ciclo.

As mudanças são o sinal de que mais um capítulo de seu livro começa a ser escrito. Um capítulo novinho em folha, ainda em branco, com potencial inimaginável de possibilidades e oportunidades.

Concluindo

Desejo a você, caro leitor, cara leitora, os mais belos capítulos de sua vida. Trabalhe-se interiormente para reconhecer que as mudanças de fato fazem parte da vida e prepare-se para aceitá-las mais serenamente.

O que vier será bem-vindo. Se for bom, abrace. Se for ruim, deixe que passe.

Lembre-se, quem vive de passado é museu. Honre e respeite o seu passado, mas fixe os olhos no seu futuro. Quem escreve a sua história é você.

Colabore

Gostou? Então convido vocẽ a contribuir para aprofundar as ideias deste artigo, deixando os seus comentários e perguntas abaixo. Terei o maior prazer em responder a todos. Participe! Este espaço também é seu!

FIQUE ATUALIZADO !
Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Deixe um comentário